Coleções

PENSAMENTO EDUCACIONAL
Untitled-1
Untitled-1b
movimentos sociais
Untitled-1
TEXTOS_CLÁSSICOS
Untitled-1
foto_2546
MARCA NAVEGANDO 001
MEDICINA VETERINÁRIA E EDUCAÇÃO
ENSINO DE DIREITO
EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS

Uma história dos trabalhadores nos frigoríficos: regimes fabris e vilas operárias
(séculos XVIII ao XX)

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

 

PRIMEIRA PARTE - TRABALHO, TRABALHADORES, CONSUMO E SIGNIFICADOS DA CARNE NO OCIDENTE (XIII-XVIII)

1. A carne como artefato cultural

2. Apropriação da Carne e Desigualdade Social

3. A mentalidade cristã e os significados da carne

4. O açougueiro e o mercado medieval

5. Dos açougues medievais aos matadouros públicos

 

SEGUNDA PARTE - O TRABALHO EM FRIGORÍFICOS: REGIMES FABRIS E VILAS OPERÁRIAS (1850-1970)

1. Inovação, logística e mercado de consumo no surgimento dos frigoríficos

2. Antecedentes históricos da industrialização da carne no Brasil

3. Os primeiros Frigoríficos no Brasil

4. O caráter alienado do trabalho e a mercantilização da carne

5. Trabalhadores e regimes fabris em frigoríficos (1880-1960)

5.1. Trabalhadores e Organização Sindical: a experiência americana (1880-1960)

5.2. Trabalhadores em frigorífico: a experiência brasileira (1900-1970)

5.2.1. As Vilas Operárias

5.2.2. A Vila Operária do Frigorífico Rondon (1963-1979)

5.3. Recrutamento de trabalhadores no Frigorífico da SADIA em Toledo-PR (1959-1979)

5.3.1. A Vila Operária do Frigorífico Pioneiro/SADIA (1959-1979)

5.4. Quando o trabalho mata

 

TERCEIRA PARTE - TRABALHO E TRABALHADORES EM FRIGORÍFICOS DE AVES (1970-2010)

1. O protagonismo brasileiro na produção de carne de frango

2. Criar e vender galinhas caipiras

2.1. De graxains e integrados se faz a agroindústria

2.2. No final dessa cadeia produtiva

3. Os domínios da cadeia avícola no trabalho e na moradia dos trabalhadores

 

REFERÊNCIAS

 

SOBRE O AUTOR